30.4.17

Ocupação temporária - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBM

Ocupação temporária: Atividade desenvolvida de caráter temporário, tais como: circos, feiras, espetáculos e parques de diversões.

Ocupações temporárias em instalações permanentes - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBM

Ocupações temporárias em instalações permanentes: Instalações de caráter temporário e transitório, não definitivo em local com características de estrutura construtiva permanente, podendo ser anexadas ocupações temporárias.

Operação automática - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBM

Operação automática: Atividade que não depende de qualquer intervenção humana para determinar o funcionamento da instalação de gás.

Operação de abastecimento - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBM

Operação de abastecimento: Atividade de transferência de gás liquefeito de petróleo (GLP) entre o veículo abastecedor e a central de GLP.

Operação manual - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBM

Operação manual: Atividade que depende da ação do elemento humano.

Operador - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBM

Operador: Profissional habilitado a executar a operação de transferência de gás liquefeito de petróleo (GLP) entre o veículo abastecedor e a central de GLP podendo acumular a função de motorista, desde que reúna as habilitações necessárias.

Órgão competente - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBM

Órgão competente: Órgão público, federal, estadual, municipal, ou ainda autarquias ou entidades por estes designadas capacitadas legalmente para determinar aspectos relevantes dos sistemas de proteção contra incêndio.

Pânico - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Pânico: Susto ou pavor repentino, que provoca nas pessoas, reação desordenada, individual ou coletiva, de propagação rápida; susto ou pavor que repentino, provoca nas pessoas, reação desordenada, individual ou coletiva, de propagação rápida.

Pantográfica - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Pantográfica: Porta constituída por paralelogramos articulados.

Parede corta-fogo - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Parede corta-fogo: Elemento construtivo que, sob a ação do fogo, conserva suas características de resistência mecânica, é estanque à propagação da chama e proporciona um isolamento térmico tal que a temperatura medida sobre a superfície não exposta não ultrapasse 140ºC durante um tempo especificado.

Parede corta-fogo portante - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Parede corta-fogo portante: Elemento construtivo, com características de resistência ao fogo (estanqueidade, isolação térmica e estabilidade), visando a separar uma edificação em relação à outra.

Parede resistente ao fogo (parede de compartimentação) - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Parede resistente ao fogo (parede de compartimentação): Elemento estrutural resistente ao fogo por um determinado período de tempo, mantendo sua integridade e as características de vedação contra gases e fumaça.

Passagem subterrânea - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Passagem subterrânea: Obra de arte destinada à transposição de vias, em desnível subterrâneo, e ao uso de pedestres ou veículos.

Passarela - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Passarela: Obra de arte destinada à transposição de vias, em desnível aéreo, e ao uso de pedestres.

Pavimento - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Pavimento: Está compreendido entre o plano de piso e o plano do teto imediatamente acima do piso de referência.

Pavimento de descarga - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Pavimento de descarga: Parte da saída de emergência de uma edificação que fica entre a escada e o logradouro público ou área externa com acesso a este.

Percentual de aberturas em uma fachada - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Percentual de aberturas em uma fachada: Relação entre a área total (edificações não compartimentadas) ou área parcial (edificações compartimentadas) da fachada de uma edificação, dividido pela área de aberturas existentes na mesma fachada.

Perícia técnica - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Perícia técnica: Consiste no levantamento e apuração efetuado por profissional do CBM, legalmente habilitado, para emissão de parecer técnico quanto aos sinistros e exigências de proteção contra incêndio e pânico nas edificações, mediante exame circunstanciado e descrição minuciosa dos elementos que o constituem, bem como das causas do desenvolvimento e conseqüências dos incêndios, através do exame técnico das edificações, materiais e equipamentos, no local ou em laboratório especializado, apontando as causas que o motivaram.

Perigo - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Perigo: Propriedade de causar dano inerente a uma substância, a uma instalação ou a um procedimento.

Pesquisa de incêndio - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Pesquisa de incêndio: Apuração das causas, desenvolvimento e conseqüências dos incêndios atendidos pelo CBM, mediante exame técnico das edificações, materiais e equipamentos, no local ou em laboratório especializado.

Pilotis - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Pilotis: Local edificado de uso comum, aberto em pelo menos três lados. Considera-se, também, como tal, o local coberto, aberto em pelo menos duas faces opostas, cujo perímetro aberto tenha, no mínimo, 70% do perímetro total. Também se inclui nesta categoria, o nível de transição das estruturas da edificação, onde os pilares se encontram com os elementos de fundação ou onde os pilares mudam de forma e ficam aparentes, em atendimento ao projeto arquitetônico.

Piso - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Piso: Superfície superior do elemento construtivo horizontal sobre a qual haja previsão de estocagem de materiais ou onde os usuários da edificação tenham acesso irrestrito.

Pista de rolagem - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Pista de rolagem: Pista de dimensões definidas, destinada à rolagem de helicópteros entre área de pouso ou de decolagem e a área de estacionamento ou de serviços.

Planilha de levantamento de dados - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Planilha de levantamento de dados: Instrumento utilizado para a catalogação de todas as informações e dados da empresa, indispensável à elaboração de um PPI.

Plano de Auxílio Mútuo (PAM) - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Plano de Auxílio Mútuo (PAM): Plano que tem por objetivo conjugar os esforços dos órgãos públicos (Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Polícia etc) e brigadas de incêndio e de abandono das empresas privadas, em caso de sinistro.

Plano de intervenção de incêndio - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Plano de intervenção de incêndio: Plano estabelecido em função dos riscos da edificação para definir a melhor utilização dos recursos materiais e humanos em uma situação de emergência.

Plano global de segurança - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Plano global de segurança: Integração de todas as medidas de prevenção contra incêndios e pânico que garantam a segurança efetiva das pessoas (aspecto humano) e do edifício, envolvendo as medidas de proteção ativa e passiva.

Plano particular de intervenção (PPI) - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Plano particular de intervenção (PPI): Procedimento peculiar de atendimento de emergência em locais previamente definidos, elaborado por profissionais de grupo multidisciplinar (Engenheiros ou Técnicos que atuem na área de segurança de incêndio e ambiental), em conjunto com o Corpo de Bombeiros.

Planta de bombeiro - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Planta de bombeiro: Representação gráfica da edificação, contendo informações através de legenda específica da localização, arranjo e previsão dos meios de segurança contra incêndio e riscos existentes.

Planta de risco - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Planta de risco: Mapa simplificado no formato A-0, A-1, A-2, A-3 ou A-4, em escala padronizada, podendo ser em mais de uma folha, indicando:

a) principais riscos;

b) paredes corta-fogo e de compartimentação;

c) hidrantes externos;

d) número de pavimentos;

e) registro de recalque;

f) reserva de incêndio;

g) armazenamento de produtos perigosos;

h) vias de acesso às viaturas do Corpo de Bombeiros;


i) hidrantes públicos próximos da edificação (se houver).

Planta - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Planta: Desenho onde estão situadas uma ou mais empresas, com uma única ou mais edificações.

Poço de instalação - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Poço de instalação: Passagem essencialmente vertical deixada numa edificação com finalidade específica de facilitar a instalação de serviços tais como: dutos de ar-condicionado, ventilação, tubulações hidráulico-sanitárias, eletrodutos, cabos, tubos de lixo, elevadores, monta-cargas, e outros.

Poço de sucção - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Poço de sucção: Elemento construtivo do reservatório, destinado a maximizar a utilização do volume de água acumulado, bem como para evitar a entrada de impurezas no interior das tubulações.

Ponto de abastecimento - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Ponto de abastecimento: Ponto de interligação entre o engate de enchimento da mangueira de abastecimento e a válvula do recipiente que deve ser abastecido.

Ponto de luz - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Ponto de luz: Dispositivo constituído de lâmpada(s) ou outros dispositivos de iluminação, invólucro(s) e/ou outros(s) componente(s) que têm a função de promover o aclaramento do ambiente ou a sinalização.

População - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

População: Número de pessoas para as quais uma edificação, ou parte dela é projetada.

População fixa - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

População fixa: Número de pessoas que permanece regularmente na edificação, considerando-se os turnos de trabalho e a natureza da ocupação, bem como os terceiros nestas condições.

População flutuante - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

População flutuante: Número de pessoas que não se enquadra no item de população fixa. Será sempre pelo número máximo diário de pessoas.

Porta corta-fogo (PCF) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Porta corta-fogo (PCF): Dispositivo construtivo(Conjunto de folha(s) de porta, marco e acessórios), com tempo mínimo de resistência ao fogo, instalado nas aberturas da parede de compartimentação, destinadas à circulação de pessoas e de equipamentos. É um dispositivo móvel que, vedando aberturas em paredes, retarda a propagação do incêndio de um ambiente para outro. Quando instaladas nas escadas de segurança, possibilitam que os ocupantes das edificações atinjam os pisos de descarga com as suas integridades físicas garantidas.Deve atender ás exigências de resistência mecânica, estanqueidade e isolamento térmico.

Posto de comando - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Posto de comando: Local fixo ou móvel, com representantes de todos os órgãos envolvidos no atendimento de uma emergência.

Posto de abastecimento e serviço - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Posto de abastecimento e serviço: Atividade onde são abastecidos os tanques de combustível de motores de veículos.

Prevenção contra incêndio e pânico - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Prevenção contra incêndio e pânico: Conjunto de ações e medidas que visam a orientação das pessoas, objetivando diminuir a possibilidade da ocorrência de um princípio de incêndio e pânico, e estabelecer o comportamento a ser adotado frente à emergência.

Procedimento sumário - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Procedimento sumário: Constitui-se na ação de análise e vistoria do CBM em edificações de uso coletivo, com área de até 750 m2 (setecentos e cinqüenta metros quadrados) regulados por meios de instrução técnica.

Processo de segurança contra incêndio e pânico (PSCIP) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Processo de segurança contra incêndio e pânico (PSCIP): Documentação que contém os elementos formais das medidas de proteção contra incêndio e pânico de uma edificação ou área de risco que deve ser apresentada no CBM para avaliação em análise técnica.

Produtos perigosos - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Produtos perigosos: Todas as substâncias cuja liberação ou ameaça de liberação cause risco ao ser humano, ao meio ambiente e às propriedades. Ou ainda, conforme o Manual de Defesa Civil Estudos de Riscos e Medicina de Desastres, aqueles produtos cujo manuseio e tráfego apresentam risco à vida, ao meio ambiente e ao patrimônio individual ou público.

Profissional habilitado - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Profissional habilitado: Toda pessoa com formação em higiene, segurança e medicina do Trabalho, engenharias, etc, devidamente registrado nos Conselhos Regionais competentes, conforme sua área de especialização.

Profissional legalmente habilitado - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Profissional legalmente habilitado: Pessoa física ou jurídica que goza do direito, segundo as leis vigentes, de prestar serviços especializados de proteção contra incêndio.

Profundidade de piso em subsolo - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Profundidade de piso em subsolo: Profundidade medida em relação ao nível de descarga da edificação.

Projetista - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Projetista: Pessoa física ou jurídica responsável pela elaboração de todos os documentos de um projeto, assim como do memorial.

Projeto - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Projeto: Conjunto de peças gráficas e escritas, necessárias à definição das características principais do sistema de combate a incêndio, composto de plantas, seções, elevações, detalhes e perspectivas isométricas e, inclusive das especificações de materiais e equipamentos.

Propagação por condução - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Propagação por condução: Decorrente do contato direto de chamas pela fachada ou pela cobertura (em colapso) de um incêndio em uma edificação, que se propaga para outra edificação contígua.

Propagação por convecção - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Propagação por convecção: Decorrente de gases quentes emitidos pelas aberturas existentes na fachada ou pela cobertura da edificação incendiada, que atingem a fachada da outra edificação adjacente.

Propagação por radiação térmica - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Propagação por radiação térmica: Aquela emitida por um incêndio em uma edificação, que se propaga por radiação por meio de aberturas existentes na fachada, pela cobertura (em colapso), ou pela própria fachada (composta de material combustível) para uma outra edificação adjacente.

Quadro de áreas - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Quadro de áreas: Tabela que contém as áreas individualizadas das edificações e seus pavimentos.

Rampa - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Rampa: Parte construtiva inclinada de uma rota de saída, que se destina a unir dois níveis ou setores de um recinto de evento.

Recipiente estacionário - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Recipiente estacionário: Recipiente fixo, com capacidade superior a 0,25m³ ou 250 Litros.

Recipiente transportável - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Recipiente transportável: Recipiente que pode ser transportado manualmente ou por qualquer outro meio. É considerado transportável para efeito de proteção contra incêndio o recipiente com volume máximo de 500L.

Rede de alimentação - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Rede de alimentação: Conjunto de condutores elétricos, dutos e demais equipamentos empregados na transmissão de energia do sistema, inclusive a sua proteção.

Rede de detecção, sinalização e alarme - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Rede de detecção, sinalização e alarme: Conjunto de dispositivos de atuação automática destinados a detectar calor, fumaça ou chama e a atuar equipamentos de proteção e dispositivos de sinalização e alarme.

Rede de distribuição - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Rede de distribuição: Parte do sistema de abastecimento formado de tubulações e órgãos acessórios, destinada a colocar água potável à disposição dos consumidores, de forma contínua, em quantidade e pressão recomendada.

Rede elétrica da concessionária - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Rede elétrica da concessionária: Energia elétrica fornecida pela concessionária do município, a qual opera independente da vontade do usuário.

Refinaria - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Refinaria: Unidade industrial na qual são produzidos líquidos inflamáveis, em escala comercial, a partir de petróleo, gasolina natural ou outras fontes de hidrocarbonetos.

Reforma - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Reforma: Alterações nas edificações e áreas de risco sem aumento de área construída.

Registro (“dumper”) de sobrepressão - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Registro (“dumper”) de sobrepressão: Dispositivo que atua como regulador em ambiente que deva ser mantido em determinado nível de pressão, evitando que a pressão assuma valores maiores por onde ocorra escape do ar.

Registro de fluxo - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Registro de fluxo: Dispositivo com a função de direcionar o fluxo de ar, normalmente utilizado na saída dos grupos moto-ventiladores, quando utilizada duplicidade de equipamentos.

Registro de fumaça (“smoke damper”) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Registro de fumaça (“smoke damper”): Dispositivo utilizado no sistema de controle de fumaça, projetado para resistir à passagem de ar ou fumaça. Um registro de fumaça pode ser combinado, atendendo a requisitos de resistência a fogo e fumaça.

Registro de paragem - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Registro de paragem: Dispositivo hidráulico manual, destinado a interromper o fluxo de água das instalações hidráulicas de combate a incêndio em edificações.

28.4.17

Registro de recalque - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Registro de recalque: Dispositivo hidráulico destinado a permitir a introdução de água proveniente de fontes externas, na instalação hidráulica de combate a incêndio das edificações.

Registros corta-fogo (“dampers”) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Registros corta-fogo (“dampers”): Dispositivos construtivos com tempo mínimo de resistência ao fogo, instalados nos dutos de ventilação e dutos de exaustão, que cruzam as paredes de compartimentação ou entre pisos.

Reserva de incêndio (RTI) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Reserva de incêndio (RTI): Volume de água destinado exclusivamente ao combate a incêndio.

Reservatório ao nível do solo - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Reservatório ao nível do solo: Reserva de incêndio cujo fundo se encontra instalado no mesmo nível do terreno natural.

Reservatório de escorva - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Reservatório de escorva: Reservatório de água com volume necessário para manter a tubulação de sucção da bomba de incêndio sempre cheia d’água.

Reservatório elevado - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Reservatório elevado: Reserva de incêndio cujo fundo se encontra instalado acima do nível do terreno natural com a tubulação formando uma coluna d’água.

Reservatório enterrado ou subterrâneo - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Reservatório enterrado ou subterrâneo: Reserva de incêndio cuja parte superior encontra-se instalada abaixo do nível do terreno natural.

Reservatório semi-enterrado - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Reservatório semi-enterrado: Reserva de incêndio cujo fundo se encontra instalado abaixo do nível do terreno natural e com a parte superior acima do nível do terreno natural.

Resistência ao fogo - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Resistência ao fogo: Propriedade de um elemento construtivo, de resistir à ação do fogo por um determinado período de tempo, mantendo sua integridade, estanqueidade e isolação e/ou características de vedação aos gases e chamas.

Responsável técnico - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Responsável técnico: Profissional habilitado para elaboração e/ou execução de atividades relacionadas a segurança contra incêndio e pânico.

Risco - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Risco: Acontecimento possível, futuro e incerto seja quanto a sua realização, seja quanto à época em que poderá ocorrer, independente da vontade humana ou não e de cuja ocorrência decorrem prejuízos de qualquer natureza.

Risco iminente - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Risco iminente: É a constatação de situação atual e iminente de exposição ao perigo e a probabilidade de ocorrência de um sinistro que deve ser fundamentada pelo bombeiro militar durante a realização de vistoria levando se em consideração a exposição ao perigo potencial e as medidas de proteção adotadas no local.

Risco isolado - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Risco isolado: Risco separado dos demais por paredes ou espaços desocupados, suficientes para evitar a propagação de incêndio de uma edificação para a outra.

Risco isolado de central de GLP - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Risco isolado de central de GLP: Distância da central de gás liquefeito de petróleo (GLP) à projeção da edificação.

Risco predominante - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Risco predominante: Atividade principal exercida na edificação, que também pode ser definido como risco principal na edificação, ou que predomina sobre os demais, ou ainda o maior nível de risco, desde que na ocorrência de um sinistro ele contribua de alguma forma para o agravamento da situação de forma significativa e em termos proporcionais.

Notas:

a) Ocorrendo equivalência na somatória da carga de incêndio, adotar-se-á para efeito da classificação do maior risco, a ocupação que possuir maior carga de incêndio pôr m²;


b) Ocorrendo concentração de público, prevalecerá como sendo o maior risco, para o dimensionamento das saídas de emergências.

Risco primário - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Risco primário: Risco principal do produto de acordo com tabela do Decreto 96.044, 18Mai88, Regulamento Federal para o transporte rodoviário de produtos perigosos.

Risco secundário - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Risco secundário: Risco subsidiário do produto de acordo com tabela do Decreto 96.044, 18Mai88, Regulamento Federal para o transporte rodoviário de produtos perigosos.

Rolagem - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Rolagem: Movimento do helicóptero de um ponto para outro, realizado na superfície ou pouco acima desta, conforme o tipo de trem de pouso do helicóptero.

Saída de emergência - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Saída de emergência: Caminho contínuo, devidamente protegido e sinalizado, proporcionado por portas, corredores, “halls”, passagens externas, balcões, vestíbulos, escadas, rampas ou outros dispositivos de saída ou combinações destes, a ser percorrido pelo usuário em caso de incêndio e pânico, que conduzam o usuário de qualquer ponto da edificação até atingir a via pública ou espaço aberto, protegido do incêndio ou pânico, em comunicação com o logradouro.

Saída ou rota de fuga - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Saída ou rota de fuga: Caminho contínuo proporcionado por portas, corredores, “halls”, escadas, rampas ou outros dispositivos de saída ou combinações destes, a ser percorrido pelo usuário, para acesso e descarga.

Saída horizontal - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Saída horizontal: Passagem de um edifício para outro por meio de porta corta-fogo, vestíbulo, passagem coberta, passadiço ou balcão.

Saída única - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Saída única: Local em um setor do recinto de evento, onde a saída é possível apenas em um sentido.

Sapé, piaçava (ou piaçaba) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Sapé, piaçava (ou piaçaba): Fibras vegetais de fácil combustão, de largo emprego na zona rural para cobertura de ranchos, no fabrico de vassouras e também utilizadas como cobertura de edificações destinadas à reunião de público, tais como bares, lanchonetes, restaurantes, casas de espetáculos etc.

Segurança contra incêndio - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Segurança contra incêndio: Conjunto de ações e recursos internos e externos à edificação ou área de risco, que permitem controlar a situação de incêndio e pânico e remoção das pessoas do local do sinistro em segurança.

Segurança - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Segurança: Compromisso a cerca da relativa proteção da exposição a riscos.

Selos corta-fogo - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Selos corta-fogo: Dispositivos construtivos com tempo mínimo de resistência ao fogo, instalados nas passagens de eletrodutos e tubulações que cruzam as paredes de compartimentação ou entrepisos.

Separação corta-fogo - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG Separação de riscos de incêndio: Rec

Separação corta-fogo: Elemento de construção que funciona como barreira contra a propagação do fogo, avaliado conforme norma existente.

Separação de riscos de incêndio - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Separação de riscos de incêndio: Recursos que visam a separar fisicamente edificações ou equipamentos. Podem ser áreas livres, barreiras de proteção, anteparos e/ou paredes de material incombustível, com resistência mínima à exposição ao fogo de 2 horas.

Separação entre edificações - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Separação entre edificações: Distância segura entre cobertura e fachada de edificações adjacentes, que se caracteriza pela distância medida horizontalmente entre a cobertura de uma edificação e a fachada de outra edificação adjacente. Fachadas de edificações adjacentes, que se caracterizam pela distância medida horizontalmente entre as fachadas de edificações adjacentes.

Serviço de segurança contra incêndio e pânico - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Serviço de segurança contra incêndio e pânico:

Compreende a Diretoria de Atividades Técnicas, Batalhões, Companhias e Pelotões do CBM que têm por finalidade desenvolver as atividades relacionadas à prevenção e proteção contra incêndio e pânico nas edificações e áreas de risco, observando-se o cumprimento das exigências estabelecidas Regulamento de Segurança Contra Incêndio e Pânico nas edificações e áreas de risco.

Setor - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Setor: Espaço delimitado por elementos construtivos que condicionam a circulação das pessoas para outras partes do recinto, permitindo ainda a lotação ordenada do local.

Severidade da exposição - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Severidade da exposição: Soma total da energia produzida com a evolução de um incêndio, que resulta na intensidade de uma exposição.

Shaft - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Shaft: Abertura existente na edificação, vertical ou horizontal, que permite a passagem e interligação de instalações elétricas, hidráulicas ou outros dispositivos necessários.

Shopping - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Shopping: Espaço amplo criado por uma área coberta de pedestre em uma edificação agregando um número de ocupantes, tais como lojas de varejo, bares, entretenimento e diversão, escritórios ou outros usos similares, onde esses espaços ocupados são abertos permitindo comunicação direta com a área de pedestres.

Simulado - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Simulado: Emprego técnico e tático dos meios disponíveis, realizados por pessoal especializado, em situação não real, visando o treinamento dos participantes.

Sinais visuais - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Sinais visuais: Compreendem a combinação de símbolos, mensagens, formas geométricas, dimensões e cores.

Sinalização de emergência - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Sinalização de emergência: Conjunto de sinais visuais que indicam, de forma rápida e eficaz, a existência, a localização e os procedimentos referentes a saídas de emergência, equipamentos de segurança contra incêndios e riscos potenciais de uma edificação ou áreas relacionadas a produtos perigosos.

Sinistro - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Sinistro: Ocorrência de prejuízo ou dano, causado por incêndio, acidente, explosão e etc..

Sistema de aspersão de espuma - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Sistema de aspersão de espuma: Sistema especial, ligado à fonte da solução produtora, estando equipado com aspersores de neblina para descarga e distribuição na área a ser protegida.

Sistema de carregamento - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Sistema de carregamento: Dispositivo para o abastecimento de tanques de combustível de motores de veículos, que engloba uma ou mais unidades de abastecimento.

Sistema de chuveiros automáticos - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Sistema de chuveiros automáticos: Conjunto integrado de tubulações, acessórios, abastecimento de água, válvulas e dispositivos sensíveis à elevação de temperatura, de forma a processar água sobre o foco de incêndio em uma densidade adequada para extinguí-lo ou controlá-lo em seu estágio inicial.

Sistema de controle de fumaça (“smoke management system”) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Sistema de controle de fumaça (“smoke management system”): Sistema projetado, que inclui todos os métodos isolados ou combinados, para modificar o movimento da fumaça.

Sistema de detecção e alarme - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Sistema de detecção e alarme: Conjunto de dispositivos que visa a identificar um princípio de incêndio, notificando sua ocorrência a uma central, que repassará este aviso a uma equipe de intervenção, ou determinará o alarme para a edificação, com o conseqüente abandono da área.

Sistemas de hidrantes ou de mangotinhos - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Sistemas de hidrantes ou de mangotinhos: Conjunto de dispositivos de combate a incêndio composto por reserva de incêndio, bombas de incêndio (quando necessário), rede de tubulação, hidrantes ou mangotinhos e outros acessórios descritos nesta norma.

Sistema de prevenção contra incêndio e pânico - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Sistema de prevenção contra incêndio e pânico: Sistema constituído de equipamentos, materiais e conjuntos que atuam na proteção da vida e das edificações.

Sistema preventivo eficaz automático - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Sistema preventivo eficaz automático: Entende-se por todo equipamento que não dependa da ação humana para entrar em funcionamento e que debele o incêndio ainda no início, permitindo o menor dano possível ao patrimônio e preservando a vida humana.

Sistema preventivo eficiente - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Sistema preventivo eficiente: Entende-se pelo conjunto de equipamentos, cujo funcionamento dependa da ação humana para funcionar e possua carga extintora de comprovada eficiência.

Sobreloja - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Sobreloja: Entende-se por sobreloja o piso compreendido entre dois pavimentos contíguos, os quais tenham entre si altura suficiente para a interposição de um terceiro nível, o qual não configure um pavimento, possuindo altura do pé direito diferenciado do pé direito do pavimento tipo. A principal característica da sobreloja em relação ao jirau ou ao mezanino reside na característica de poder ser contido lateralmente por quatro paredes e com a possibilidade de ter ou não guarda-corpo em uma ou mais laterais. Sua função principal é de acondicionamento de materiais, servindo como área de depósito. Não se exclui destes, níveis cujo aproveitamento seja constituído por escritórios, ou fechamentos de área para provadores, área de apoio aos funcionários e afins. A sobreloja pode ocupar toda a área de projeção em planta do pavimento imediatamente abaixo, mas com acesso exclusivo por este. Só existe sobreloja em edificações comercial ou mista, neste caso onde existir lojas (sala, escritório ou loja).

Solicitação de vistoria por autoridade pública (AVCB) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Solicitação de vistoria por autoridade pública (AVCB): Instrumento administrativo, utilizado para atender solicitação de autoridade pública, no setor de prevenção de incêndio do Corpo de Bombeiros para realização de vistoria na edificação.

Sprinkler - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Sprinkler: Composto por:
- Corpo;
- Difusor;
- Elemento termo sensível;
- Obturador.


Esse dispositivo é destinado a projetar água, em forma de chuva, dotado de elemento sensível à elevação de temperatura..

Subestação atendida - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Subestação atendida: Instalação operada localmente e que dispõe de pessoas permanentes ou estacionadas.

Subestação compacta - Subestação abrigada - Subestação subterrânea - Subestação de uso múltiplo - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Subestação compacta: Instalação atendida ou não, localizada em região urbana, com os tipos descritos abaixo:

a) Subestação abrigada: Instalação total ou parcialmente abrigada, devido a fatores diversos, com limitação de área do empreendimento, aspectos econômicos e sociais;

b) Subestação subterrânea: instalações que se encontram situadas abaixo do nível do solo;


c) Subestação de uso múltiplo: Instalação localizada em uma única área compartilhada pelo proprietário e por terceiros.


Subestação abrigada - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Subestação abrigada: Instalação total ou parcialmente abrigada, devido a fatores diversos, com limitação de área do empreendimento, aspectos econômicos e sociais.

Subestação subterrânea - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Subestação subterrânea: instalações que se encontram situadas abaixo do nível do solo.

Subestação de uso múltiplo - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Subestação de uso múltiplo: Instalação localizada em uma única área compartilhada pelo proprietário e por terceiros.

Subestação de uso múltiplo - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Subestação de uso múltiplo: Instalação convencional, acrescida de outras edificações separadas e distanciadas entre si, de único proprietário.

Subestação elétrica convencional - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Subestação elétrica convencional: Instalação de pátio que se encontra ao ar livre, podendo os transformadores permanecer ou não enclausurados.

Subestação não-atendida - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Subestação não-atendida: Instalação tele-controlada ou operada localmente por pessoas não permanentes ou não estacionadas.

Subsolo - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Subsolo: Pavimento situado abaixo do perfil do terreno. Não será considerado subsolo o pavimento que possuir ventilação natural e tiver sua laje de cobertura acima de 1,20m do perfil do terreno.

Supervisão (“supervision”) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Supervisão (“supervision”): Autoteste do sistema de controle de fumaça, na qual o circuito de condutores ou dispositivos de função são monitorados para acompanhar a falha ou integridade dos condutores e dos equipamentos que controlam o sistema.

Tanque - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Tanque: Reservatório cilíndrico para armazenar líquidos combustíveis ou inflamáveis.

Tanque atmosférico não refrigerado - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Tanque atmosférico não refrigerado: Reservatório não equipado com sistema de refrigeração.

Tanque atmosférico refrigerado - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Tanque atmosférico refrigerado: Reservatório equipado com sistema de refrigeração, que visa a controlar a temperatura entre – 35ºC a – 40ºC de forma a manter o gás liquefeito de petróleo (GLP) em estado líquido sem a necessidade de pressurização.

Tanques de maior risco - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Tanques de maior risco: Reservatório contendo líquidos combustíveis ou inflamáveis e que possui maior demanda de vazão de espuma mecânica.

Tanque de teto cônico - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Tanque de teto cônico: Reservatório com teto soldado na parte superior do costado.

Tanque de teto flutuante - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Tanque de teto flutuante: Reservatório cujo teto será diretamente apoiado na superfície do líquido no qual flutua.

Tanque vertical - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Tanque vertical: Reservatório de base apoiada sobre o solo.

Taxa de aplicação - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Taxa de aplicação: Vazão de solução de espuma a ser lançada sobre a área da superfície líquida em chamas.

Temperatura crítica - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Temperatura crítica: Temperatura que causa o colapso no elemento estrutural.

Tempo de comutação - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Tempo de comutação: Intervalo de tempo entre a interrupção da alimentação da rede elétrica da concessionária e a entrada em funcionamento do sistema de iluminação de emergência.

Tempo máximo de abandono (t) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Tempo máximo de abandono (t): Duração considerada para que todos os ocupantes do recinto consigam atingir o espaço livre exterior.

Tempo requerido de resistência ao fogo (TRRF) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Tempo requerido de resistência ao fogo (TRRF): Duração de resistência ao fogo dos elementos construtivos de uma edificação, estabelecida pelas normas.

Terceiros - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Terceiros: Prestadores de serviço.

Terraço - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Terraço: Local descoberto sobre uma edificação ou ao nível de um de seus pavimentos acima do pavimento térreo.

Teste - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Teste: Verificação ou prova (fazer funcionar experimentalmente), para determinar a qualidade ou comportamento de um sistema de acordo com as condições estabelecidas na Instrução Técnica.

Torre de espuma - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Torre de espuma: Equipamento portátil destinado a facilitar a aplicação da espuma em tanques.

Trajetórias de escape - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Trajetórias de escape: Vazão de ar que sai dos ambientes pressurizados, definida no projeto do sistema, e é através deste fluxo de ar que são estabelecidas a trajetória que serão percorridas pelo ar que gera a pressurização.

Tubo-luva de proteção - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Tubo-luva de proteção: Dispositivo no interior do qual a tubulação de gás (GLP, nafta, natural ou outro similar) é montada, e cuja finalidade é diminuir o risco de um princípio de incêndio, próximo às juntas, soldas e conexões; atingir a proteção contra incêndio existente nos dutos de sucção e/ou pressurização, visando ainda ao não confinamento de gás em locais não ventilados.

Tubulação - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Tubulação: Conjunto de tubos, conexões e outros acessórios destinados a conduzir água, desde a reserva de incêndio até os hidrantes ou mangotinhos.

Tubulação seca - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Tubulação seca: Parte do sistema de hidrantes, que por condições específicas, fica permanentemente sem água no seu interior, sendo pressurizada por viatura de combate a incêndios.

Túnel rodoviário - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Túnel rodoviário: Passagem horizontal construída embaixo da terra ou da água usado para o tráfego de automóveis.

Unidade autônoma - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Unidade autônoma: Parte da edificação vinculada a uma fração ideal de terreno, sujeita às limitações da lei, constituída de dependências e instalações de uso privativo e de parcela de dependências e instalações de uso comum da edificação, assinalada por designação especial numérica, para efeitos de identificação, nos termos da Lei Federal nº 4591, de 16 de dezembro de 1964.

Unidade de passagem - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Unidade de passagem: Largura mínima para a passagem de uma fila de pessoas, fixada em 0,55 m.

Nota: Capacidade de uma unidade de passagem é o número de pessoas que passa por esta unidade em 1,0 minuto.

Unidade de processamento - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Unidade de processamento: Estabelecimento ou parte de estabelecimento cujo objetivo principal é misturar, aquecer, separar ou processar, de outra forma, líquidos inflamáveis. Nesta definição não estão incluídas as refinarias, destilarias ou unidades químicas.

Unidade extintora - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Unidade extintora: Extintor que atende a capacidade extintora mínima prevista em norma em função do risco e natureza do fogo.

Válvula de retenção - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Válvula de retenção: Dispositivo hidráulico destinado a evitar o retorno da água para o reservatório.

Válvulas - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Válvulas: Acessórios de tubulação destinado a controlar ou bloquear o fluxo de água no interior das tubulações.

Varanda - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Varanda: Parte da edificação, não em balanço, limitada pela parede perimetral do edifício, tendo pelo menos uma das faces aberta para o logradouro ou área de ventilação.

Vazamento - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Vazamento: Vazão de ar que sai do ambiente e/ou da rede de dutos de modo não desejável causando perda de uma parcela do ar que é insuflado.

Vedadores corta-fogo - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Vedadores corta-fogo: Dispositivos construtivos com tempo mínimo de resistência ao fogo, instalados nas aberturas das paredes de compartimentação ou dos entrepisos, destinadas à passagem de instalações elétricas, hidráulicas, etc.

Veículo abastecedor - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Veículo abastecedor: Veículo especificamente homologado para transporte e transferência de gás liquefeito de petróleo (GLP) a granel.

Veículo transportador - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Veículo transportador: Veículo que dispõe de tanque criogênico, especialmente projetado e utilizado para o transporte e transvasamento de gás natural liquefeito (GNL) e devidamente certificado pelo INMETRO.

Veios - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Veios: Dispositivos instalados no interior de curvas, bifurcações ou outros acessórios com a finalidade de direcionar o fluxo de ar, visando, também, à diminuição da perda de carga localizada.

Velocidade (v) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Velocidade (v): Distância percorrida por uma pessoa em uma unidade de tempo (m/min).

Veneziana de tomada de ar - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Veneziana de tomada de ar: Dispositivo localizado em local fora do risco de contaminação por fumaça proveniente do incêndio e por partículas que proporcionam o suprimento de ar adequado para o sistema de pressurização.

Ventilação constante - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Ventilação constante: Movimentação constante de ar em um ambiente.

Ventilação cruzada - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Ventilação cruzada: Movimentação de ar, que se caracteriza por aberturas situadas em lados opostos das paredes de uma edificação, sendo uma localizada junto ao piso e a outra situada junto ao teto.

Via de acesso - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Via de acesso: Espaço destinado para as viaturas do CBMMG adentrarem no entorno à edificação, à área de risco e à faixa de estacionamento.