19.9.15

Projeto de Motores Trifásicos - Projeto de Motores Monofásicos - Cargas com Alimentação Ininterrupta de Energia - UPS - Tabela Padrões para Motores Trifásicos: Códigos NEMA, EFF, SPF, RPF - Tabela Padrões de Motores Monofásicos: Códigos NEMA, EFF, SPF, RPF - Superdimensionamento do alternador - Manual de Aplicação - Grupos Geradores Arrefecidos a Água T-030d-07 08/03 - Cummins

Projeto de Motores Trifásicos: Na América do Norte, o projeto de motores tipos B, C ou D são motores trifásicos de indução com gaiola, classificados pela NEMA (Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Elétricos) com relação ao valor máximo de corrente com o rotor travado e ao valor mínimo de torque com o rotor travado, elevação e redução de torque. Os motores do tipo Alta Eficiência são motores trifásicos de indução com gaiola e de grande eficiência com valores mínimos de torque similares aos motores tipo B, porem com corrente máxima mais elevada com o rotor travado e com maior eficiência nominal com carga plena. Consulte a Tabela 3-6 para obter os valores nominais padrão para o projeto de motores B, C, D e de Alta Eficiência.


Projeto de Motores Monofásicos: Consulte a Tabela 3-7 para obter os valores nominais padrão para motores de indução monofásicos.


Cargas com Alimentação Ininterrupta de Energia: Umsistema estático de alimentação ininterrupta de energia (UPS) usa retificadores de silício controlados (SCRs) ou outros dispositivos estáticos para converter voltagem de CA em voltagem de CC. A voltagem de CC é usada para produzir voltagem de CA através de um circuito inversor na saída do UPS. A voltagem de CC também é usada para carregar as baterias, que são os componentes de armazenamento de energia para o UPS. A comutação dos SCRs na entrada induz correntes harmônicas no alternador do grupo gerador. Os efeitos dessas correntes inclui aquecimento adicional do enrolamento, redução da eficiência e distorção da forma de onda de CA. O resultado é um alternador maior para uma determinada saída em kW do grupo gerador.

Os dispositivos UPS também podem ser sensíveis a quedas de voltagem e oscilações de freqüência. Quando o retificador está na parte ascendente da curva de retificação, podem ocorrer oscilações relativamente amplas em freqüência e voltagem sem interrupção do funcionamento. Entretanto, assim que o desvio estiver habilitado, tanto a freqüência quanto a voltagem devem ser muito estáveis ou poderá ocorrer uma condição de alarme.

No passado, problemas de incompatibilidade entre grupos geradores e dispositivos UPS estáticos levaram a muitas concepções erradas sobre o dimensionamento de grupos geradores para este tipo de carga. Os fornecedores de UPS recomendavam o superdimensionamento do grupo gerador de duas a cinco vezes a classificação do UPS, mas mesmo assim alguns problemas persistiam. Desde então, a maioria dos fabricantes de UPS tem resolvido os problemas de incompatibilidade e atualmente é mais barato exigir dispositivos UPS que sejam compatíveis com o grupo gerador do que superdimensioná-lo.

Ao dimensionar um gerador, use a classificação da plaqueta de identificação do UPS, mesmo que o UPS não esteja totalmente carregado, mais a classificação de carga da bateria. Normalmente, o UPS tem uma capacidade de carga da bateria de 10 a 50% da classificação do UPS. Se as baterias estiverem descarregadas quando o UPS estiver operando no grupo gerador, este deverá ser capaz de fornecer tanto a carga de saída quanto a carga da bateria.

A maioria dos UPSs tem um limite de corrente ajustável. Se este limite estiver configurado entre 110% e 150% da classificação do UPS, esta será a carga de pico que o grupo gerador terá que alimentar imediatamente após uma queda da energia da concessionária. Uma segunda razão para a utilização da classificação plena do UPS é que no futuro podem ser incluídas cargas adicionais até a classificação da plaqueta de identificação. O mesmo se aplica aos sistemas UPS redundantes. Dimensione o grupo gerador para as classificações combinadas das plaquetas individuais dos dispositivos UPS em aplicações onde, por exemplo, um UPS é instalado como reserva e o segundo está em linha o tempo todo com 50% ou menos da carga.

Por se tratarem de cargas não-lineares, o equipamento UPS induz harmônicos na saída do gerador. Os dispositivos UPS equipados com filtros de entrada de harmônicos apresentam correntes de harmônicos mais baixas do que os não equipados com filtros. Os filtros de harmônicos devem ser reduzidos ou desconectados quando a carga do UPS for pequena. Caso contrário, estes filtros podem afetar o fator de potência do grupo gerador. Consulte Redução do Fator de Potência pela Carga no Capítulo 6, Projeto Mecânico. O número de retificadores (pulsos) também define o grau exigido de superdimensionamento do alternador. Um retificador de 12 pulsos com um filtro de harmônicos resulta no menor grupo gerador recomendado.

A maioria dos dispositivos UPS possui uma função de limitação de corrente para controlar a carga máxima que o sistema pode aplicar à sua fonte de alimentação, expressa como uma porcentagem da classificação de carga plena do UPS. A carga total que o UPS aplica à sua fonte de alimentação é controlada pelo valor que limita a taxa de carga de sua bateria.





Nenhum comentário:

Postar um comentário