5.9.15

Prevenção - Ações de prevenção - Atividades de prevenção - MANUAL DE PLANEJAMENTO DE EMERGÊNCIA


Prevenção

Ações de prevenção

Estas ações respondem a efetividade do cumprimento da legislação no que tange a planificação urbana e física, bem como medidas de estruturação e capacitação da comunidade.


As atividades de prevenção devem estar inseridas nas estratégias de desenvolvimento, nos planos setoriais, nos planos de inversão, em programas de ordenamento territorial e de desenvolvimento sócio econômico, tais como:

- Planos de desenvolvimento urbano, programas de inversão que tome em consideração a obtenção dos elementos do desastre em espaços geográficos definidos;

- Planos específicos para a eliminação de ameaças, tais como inundação, secas e deslizamentos;

- Planificação física e zonificação para assentamento (reconhecimento) de indústrias e infra-estrutura.


Em nosso meio é comum escutar o refrão que diz “ é melhor prevenir do que remediar ”. Isto significa que se tomamos uma série de medidas preventivas poderemos evitar ou diminuir o impacto do desastre, ou seja, mediante a intervenção direta de uma ameaça ou perigo que possa evitar sua ocorrência.

Desafortunadamente, existem fenômenos como os furacões, os terremotos, as erupções vulcânicas e os maremotos que por suas características não é possível evitar sua manifestação.

Entretanto há que se enfatizar que os esforços que se realizam em busca da prevenção, através de diferentes trabalhos, não garantiram a não ocorrência destes desastres.

Isto devido ao fato de que as obras que se realizam foram projetadas para suportar um evento extraordinário, cuja probabilidade de ocorrência é muito baixa. Desta forma, a obra pode ser efetiva para os eventos mais freqüentes e menores que o previsto. Geralmente estas obras demandam recursos muito altos e que, na maioria dos casos, estão por cima das possibilidades das comunidades quanto a recursos.



Atividades de prevenção


Algumas das atividades que comumente se realizam nesta etapa são as seguintes:

- Conservação das bacias hidrográficas com a finalidade de evitar o processo de erosão e instabilidade de ladeiras, as inundações os deslizamentos e as avalanches;

- Sistemas de irrigação e canalização de águas para evitar secas;

- Políticas e legislação tendentes a planificar o desenvolvimento do país a nível sócio-espacial;

- Programas para controle de vetores: segundo antecedentes e regiões;

- Programas de prevenção e combate a incêndios, controle de materiais químicos e radioativos em locais estratégicos;

- Métodos de conservação e uso dos recursos naturais;

- Programas de investigação dos fenômenos potencialmente perigosos;

- Elaboração de mapas de riscos e vulnerabilidades;

- Programas de investigação dos fenômenos potencialmente perigosos;

- Elaboração de mapas de ameaças;

- Programas de educação e capacitação no tema de desastres dirigidas a organizações ou a população em geral;


- Legislação, planificação e estímulos fiscais e financeiros. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário