5.9.15

Plano de Emergência Local (PEL) - Recursos de Hardware - Proteção contra enchentes - Proteção contra erosão costeira - Proteção contra corrida de massa - Proteção contra deslizamentos - Proteção contra rastejos - Proteção contra erosão - Proteção contra falhas de encostas - Proteção contra quedas de rocha - Proteção contra secas - Proteção contra vendavais - Proteção contra incêndio e explosões - Proteção contra acidentes de transporte – Planejamento - Preparo Organizacional e Institucional ( Intensificação da capacidade de resposta ao desastre - Preparos tecnológicos - Preparo social e Psicológico - ANEXO B - MODELO DE PLANO DE EMERGÊNCIA - CARACTERIZAÇÃO DO ESPAÇO - Aspectos físicos – Geográficos - Horário favorável - Horário desfavorável - Em relação à unidade hospitalar mais próxima - Enquadramento de ocupações e espaços livres - Planta geral de situação -Descrição das instalações por piso ou pavilhão - Identificação das vias de acesso - Identificação das linhas vitais de suprimento e escoamento - Aspectos humanos - Recenseamento de utentes - População fixa estimada - Horário de concentração máxima - Horário de concentração mínima - População flutuante estimada - Característica social do público interno/externo - Nível de sensibilização por parte do público de mais alto nível com relação à questão - Público de vulnerabilidade específica (nome, sexo e pavimento e setor) - Deficientes motores (DM) - Deficientes visuais (DV) - Deficientes auditivos (DA) – Hospitalizados - Encarcerados - Períodos de funcionamento - MANUAL DE PLANEJAMENTO DE EMERGÊNCIA


Plano de Emergência Local (PEL)

O Plano de Emergência Local constitui a primeira abordagem a ser implementada em termos práticos pelo administrador de desastres, quando nas ações iniciais de macroplanejamento e compõe-se das seguintes etapas do cronograma abaixo:




Recursos de Hardware

Os recursos de hardware constituem as medidas físicas a serem implementadas no macroplanejamento contra desastres, os principais recursos de usos corrente segundo a natureza do evento são:

1. Proteção contra enchentes:
a. Barragens,
b. Represas,
c. Sistemas de drenagem,
d. Canais artificiais,
e. Bacias de controle e retardo,
f. Melhoria dos cursos, margens e leitos dos rios e,
g. Comportas.


2. Proteção contra erosão costeira:
a. Quebra-mar;
b. Piers.


3. Proteção contra corrida de massa:
a. Reflorestamento,
b. Barragem de detritos (SABO-DAM) e,
c. Construção de canais.


4. Proteção contra deslizamentos:
a. Galerias de condução de águas pluviais,
b. Galerias de drenagem de águas pluviais,
c. Trabalhos de empilhamento ( Pilling Works),
d. Uso de gabião manta,
e. Uso de liga solo-cal-cimento,
f. Argamassa,
g. Inclinômetros,
h. Tela de gunita,
i. Muro de pedra seca,
j. Muro de pedra argamassada,
k. Muro de gabião caixa,
l. Muro de concreto ciclópico e,
m. Muro de concreto armado.


5. Proteção contra rastejos:
a. Impermeabilização da superfície do terreno,
b. Desvio e canalização das águas pluviais e,
c. Drenagem profunda.


6. Proteção contra erosão:
a. Recomposição da vegetação e,
b. Sistema superficial de drenagem.


7. Proteção contra falhas de encostas:
a. Cortes de encostas,
b. Reflorestamento,
c. Construção dos muros de arrimo e,
d. Construção de barreiras de contenção.


8. Proteção contra quedas de rocha:
a. Cercas de prevenção de quedas de rochas,
b. Remoção de blocos instáveis,
c. Fixação dos blocos instáveis através de chumbadores ou tirantes,
d. Execução de obras de pequeno porte para segurança da encosta rochosa ( cintas, grelhas, montantes),
e. Redes de prevenção de quedas de rochas.


9. Proteção contra secas:
a. Construção de represas,
b. Comportas,
c. Canais para ajustagem do fluxo de escoamento dos rios,
d. Desenvolvimento de lagos e pântanos.


10. Proteção contra vendavais:
a. Reflorestamento de proteção.


11. Proteção contra incêndio e explosões:
a. Sistemas de detecção,
b. Sistemas de alarme,
c. Sistemas de escape,
d. Sistemas de ventilação e tiragem,
e. Dispositivos corta-fogo,
f. Sistemas automáticos de extinção,
g. Sistemas manuais de extinção,
h. Sistemas de trânsito (viação e sinalização) e,
i. Adequação arquitetônica.

12. Proteção contra acidentes de transporte:
a. Sistemas de sinalização,
b. Dispositivos de escape de veículos,
c. Dispositivos de segurança.



Recursos de Software

Os recursos de software constituem as medidas não estruturais do processo de macroplanejamento contra desastres

1. Planejamento:
a. Leis de uso e ocupação do solo,
b. Infraestrutura urbana,
c. Localização de indústrias,
d. Distribuição populacional e de densidades,
e. Métodos de construção,
f. Códigos e regulamentos de construção,
g. Redes de transporte.


2. Preparo Organizacional e Institucional ( Intensificação da capacidade de resposta ao desastre):
a. Otimização do tempo-resposta,
b. Evacuação,
c. Depósitos de alimentos não perecíveis e suprimentos médicos,
d. Abrigos de emergência,
e. Serviços de emergência ( linhas vitais de abastecimento, sistemas sanitários etc.),
f. Serviços médicos e de saúde,
g. Distribuição de alimentos e vestuário,
h. Relações públicas,
i. Centros de comando de emergência e,
j. Integração aos Planos APELL ( Programa de Preparação e Alerta das Comunidades), PARE ( Programa de Redução de Acidentes nas Estradas) e PAM (Plano de Auxílio Mútuo)


3. Preparos tecnológicos:
a. Sistemas de detecção,
b. Sistemas de alarme,
c. Sistemas de alerta,
d. Sistemas meteorológicos,
e. Sistemas de telecomunicação : fixa, via satélite e móvel,
f. Sistemas de processamento de informação , GIS (Geographic Information Systems – Sistemas de Informações Geográficas – ver anexo “B” ) bancos de dados e protocolos de transmissão (INTERNET).


4. Preparo social e Psicológico:
a. Evacuação e treinamento da comunidade,
b. Programas de alerta,
c. Centros de prevenção de desastres,
d. Centros de emergência comunitária,
e. Relações públicas,
f. Assessoria de comunicação social.



ANEXO B

MODELO DE PLANO DE EMERGÊNCIA

ORGANIZAÇÃO:
ENDEREÇO:
SITUAÇÃO:
BAIRRO:
CIDADE:
ESTADO:


1. CARACTERIZAÇÃO DO ESPAÇO

1.1 Aspectos físicos

1.1.1 Geográficos
1.1.1.1 Limites Georeferenciais (Latitude, Longitude)
1.1.1.2 Geomorfologia
1.1.1.3 Topologia
1.1.1.4 Climatologia
1.1.1.5 No plano urbano
1.1.1.6 No plano de circunvizinhanças
1.1.1.7 Em relação às unidade emergência mais próximas
1.1.1.8 Tempos estimados de atendimento em relação às
unidades de emergência mais próximas

1.1.1.8.1 Horário favorável
1.1.1.8.1.1 Horário desfavorável

1.1.1.9 Em relação à unidade hospitalar mais próxima
1.1.1.9.1 Tempos estimados de atendimento da unidade
hospitalar
1.1.1.9.1.1 Horário favorável
1.1.1.9.1.2 Horário desfavorável

1.1.2 Enquadramento de ocupações e espaços livres
1.1.2.1 Planta geral de situação
1.1.2.2 Distância das ocupações mais próximas

1.1.3 Descrição das instalações por piso ou pavilhão
1.1.3.1 Tipo construtivo
1.1.3.2 Áreas Construídas
1.1.3.3 Ano de construção

1.1.2 Identificação das vias de acesso
1.1.2.1 Auto-Estradas
1.1.2.2 Estradas
1.1.2.3 Viadutos
1.1.2.4 Túneis
1.1.2.5 Elevados
1.1.2.6 Pontes

1.1.4 Identificação das linhas vitais de suprimento e escoamento
1.1.4.1 Luz
1.1.4.2 Água
1.1.4.3 Gás
1.1.4.4 Esgoto
1.1.4.5 Águas pluviais

1.2 Aspectos humanos

1.2.1 Recenseamento de utentes
1.2.1.1 População fixa estimada
1.2.1.1.1 Horário de concentração máxima
1.2.1.1.2 Horário de concentração mínima

1.2.1.2 População flutuante estimada
1.2.1.2.1 Horário de concentração máxima
1.2.1.2.2 Horário de concentração mínima

1.2.1.3. Característica social do público interno/externo
1.2.1.3.1 Nível de sensibilização por parte do público de
mais alto nível com relação à questão
1.2.1.3.2 Nível de sensibilização por parte do público de
médio nível com relação à questão
1.2.1.3.3 Nível de sensibilização por parte do público de
mais baixo nível com relação à questão
1.2.1.3.4 Nível de conhecimento por parte do público de
mais alto nível com relação à questão
1.2.1.3.5 Nível de conhecimento por parte do público de
médio nível com relação à questão
1.2.1.3.6 Nível de conhecimento por parte do público de
mais baixo nível com relação à questão

1.2.1.4 Pontos de maior concentração de público ( relação
área/população)

1.2.1.5 Público de vulnerabilidade específica (nome, sexo e
pavimento e setor)
1.2.1.5.1 Deficientes motores (DM)
1.2.1.5.2 Deficientes visuais (DV)
1.2.1.5.3 Deficientes auditivos (DA)
1.2.1.5.5 Hospitalizados
1.2.1.5.6 Encarcerados
1.2.2 Períodos de funcionamento

Nenhum comentário:

Postar um comentário