5.9.15

MACROPLANEJAMENTO EFETIVO - Mecanismos de Abordagem - Pré-Desastre - Desastre - Pós-Desastre - RISCO= FREQUÊNCIA X CONSEQUÊNCIA - Identificação dos Riscos - Magnitude esperada do evento - Padrão para a estimativa de riscos - MANUAL DE PLANEJAMENTO DE EMERGÊNCIA


MACROPLANEJAMENTO EFETIVO

Mecanismos de Abordagem

O campo do macroplanejamento contra desastres deve se concentrar em três fases distintas:

Pré-Desastre - Desastre - Pós-Desastre



O campo da aplicação deste deve ser composto de soluções estruturais (HARDWARE) e de soluções não estruturais (SOFTWARE), a primeira se baseia fundamentalmente em projetos de engenharia como contenção de encostas, sistemas de barragens, bacias de retardo, etc. e a segunda através de mecanismos de suporte tais como legislação de ocupação e uso do solo, treinamento comunitário etc.


A primeira etapa de um processo de macroplanejamento contra desastres se faz por intermédio da Análise de Riscos ( A. R. ) a qual é composta por:

Definição de Risco - risco é uma função do produto da probabilidade de ocorrência de um evento pela magnitude:



RISCO= FREQUÊNCIA X CONSEQUÊNCIA


Para um conjunto de eventos distintos, temos que o risco é igual ao somatório de cada frequência e consequência isolada (i), logo:



A freqüência pode ser expressa em:

- eventos/ano, acidentes/mês.


A conseqüência pode ser expressa em:

- fatalidades/evento, morte/acidente, R$/evento, dias perdidos/acidente.


O risco pode ser expresso em:

- fatalidades/ano, dias parados/mês, R$/ano, mortes/ano Como p.ex. se em uma estrada ocorrem 100 acidentes por ano F=100 acidentes/ano, se ocorre em média 1 morte a cada 10 acidentes: C=0,1 morte/acidente, o risco coletivo médio nesta estrada é R= 100X0,1=10 mortes/ano.

Se transitam pela estrada 100.000 pessoas por ano, o risco individual (Rind) para cada pessoa é de Rind=10/100.000=10-4.



A análise de riscos, que constitui a etapa inicial das medidas de macroplanejamento, deve se basear em:


Identificação dos Riscos

Identificando os riscos locais em função de:

Freqüência / Probabilidade;

Registro histórico de suas ocorrências ( por escrito ou segundo histórico popular);

Estimativa da probabilidade de sua ocorrência.


Conseqüência

Magnitude esperada do evento

Descrição dos Riscos - compreendendo a natureza e a identificação dos riscos com base em detalhadas informações sobre a:

Característica do desastre - descrevendo os elementos que compõe o desastre;

Forma de ocorrência - como é esperado do desastre vir a se manifestar;

Tempo de impacto - durante quanto tempo se espera que os efeitos do desastre durem.


Extensão do impacto - área de probabilidade aonde se manifestará provavelmente o desastre, nesta deve ser acompanhada de dois documentos importantes:

Mapa de Riscos - Mapas em escalas entre 1:50.000 e 1:25.000, aonde estarão registrados os principais riscos observados na região em estudo;

Mapa de Vulnerabilidade - Mapas em escalas entre 1:50.000;

1:25.000, aonde estarão registrados os principais pontos que sofrerão a ação do impacto do desastre tais como comunidades, construções, estruturas, meio ambiente etc;

Maneabilidade do desastre - As formas pelas quais o desastre poderá ser administrado;

Descrição da comunidade e seu meio ambiente - Contendo elementos tais como demografia, cultura, economia, infra-estrutura e meio ambiente;

Descrição dos efeitos - Descrição dos efeitos esperados do desastre;

Priorização dos riscos - especificando os maiores riscos em ordem de prioridade para fins de planejamento.



Metas de Redução ou Mitigação - determinando O QUÊ, ONDE, QUEM, QUANDO, COMO, será tomado como metas de ação, quer sejam de ação redutora, quer sejam de ação
mitigadora no planejamento contra o desastre.




Nenhum comentário:

Postar um comentário