19.9.15

Cargas do Carregador de Bateria - Classificação do Equipamento de imagem - Pico em KVA - KVA Mínimo do Gerador - Figura Queda de Voltagem em Aplicações Médicas de Diagnóstico por Imagem - Tabela Requisitos do Grupo Gerador para Aplicações de Imagens Médicas - Manual de Aplicação - Grupos Geradores Arrefecidos a Água T-030d-07 08/03 - Cummins

Entretanto, se a carga máxima for limitada a 125% e o UPS estiver funcionando a 75% da capacidade nominal, a carga da bateria será limitada a 50% da capacidade do UPS. Alguns dispositivos UPS reduzem a taxa de carga da bateria a um valor mais baixo durante o tempo em que um grupo gerador estiver alimentando o UPS.

Cargas do Carregador de Bateria: Os carregadores normalmente utilizam retificadores controlados de silício (SCRs). Um carregador de bateria é uma carga não-linear, exigindo um alternador superdimensionado para acomodar o aquecimento adicional e minimizar as correntes harmônicas induzidas pelo carregador de bateria.

O número de retificadores (pulsos) define o grau exigido de superdimensionamento do alternador. Um retificador de 12 pulsos resulta no menor grupo gerador recomendado.

Equipamentos de Diagnóstico por Imagem (Raio-X, Tomografia Computadorizada, Ressonância Magnética): Os equipamentos de diagnóstico por imagem, como Raio-X, Tomografia Computadorizada e Ressonância Magnética produzem características únicas de partida e funcionamento que devem ser consideradas no dimensionamento de um grupo gerador. 

A carga de pico em kVA (Kvp x ma) e a queda de voltagem permitida são fatores essenciais para o dimensionamento de um grupo gerador para aplicações de equipamentos de diagnóstico por imagem. Dois fatores adicionais devem ser entendidos para todos esses tipos de aplicações.

Primeiro, quando e equipamento de diagnóstico por imagem é alimentado pelo grupo gerador, a imagem poderá ser diferente da imagem produzida quando o mesmo for alimentado pela fonte normal de energia. A razão disto deve-se à diferença nas características de queda de voltagem.

Como ilustrado na Figura 3-1, a queda tenderá a ser constante quando a fonte de alimentação for rede elétrica pública e será maior e mais variável quando a fonte de alimentação for o grupo gerador. A tentativa de regular a voltagem pelo regulador de voltagem do grupo gerador também afeta a característica de queda de voltagem.

Segundo, entre o tempo que o operador faz os ajustes para a imagem e produz a imagem, não deve haver nenhuma grande mudança de cargas, como a partida de um elevador ou a ativação/desativação de sistemas de ar-condicionado.

Os equipamento de diagnóstico por imagem normalmente são projetados para serem alimentados pela energia da fonte normal. Contudo, a maioria dos equipamentos possui um compensador de voltagem da linha, ajustável pelo instalador ou pelo operador. Nas aplicações em que o grupo gerador é a única fonte de energia, o compensador de voltagem da linha pode ser ajustado para a queda de voltagem esperada com o grupo gerador. 

Quando o equipamento de diagnóstico por imagem tiver sido ajustado para a energia da fonte normal, o grupo gerador terá que duplicar, tanto quanto possível, a queda de voltagem da fonte normal. A partir de experiências no passado, pode-se esperar por imagens satisfatórias quando a classificação em kVA do gerador (alternador) for pelo menos 2,5 vezes o pico em kVA do equipamento de diagnóstico por imagem.

Pode-se esperar uma queda de voltagem de 5 a 10% quando o dimensionamento é feito nestas bases. A Tabela 3-8 mostra o pico de kVA e a quantidade de kVA exigida pelo grupo gerador para equipamentos de diagnóstico por imagem de várias capacidades nominais.





Nenhum comentário:

Postar um comentário