12.7.15

SAÍDAS DE EMERGÊNCIA - Definição e conceito - Finalidade - Descrição geral - Escadas - Corrimãos - Escada protegida - Escada pressurizada - MANUAL DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO NAS EDIFICAÇÕES E ÁREAS DE RISCO


 SAÍDAS DE EMERGÊNCIA

Definição e conceito

Estrutura integrante da edificação, possuindo requisitos à prova de fogo e fumaça para permitir o escape das pessoas em segurança, em situações de emergência.


Finalidade

Garantir o abandono da edificação pelos ocupantes, para local seguro, a fim de preservar a vida humana e permitir o acesso do Corpo de Bombeiros para as operações de busca, salvamento, resgate e combate a incêndios.


Descrição geral

As saídas de emergência são compostas por portas, acessos e escadas, que podem ser dos seguintes tipos:

a)  escada simples - é destinada ao deslocamento das pessoas, sem que haja proteção ao fogo;


b) escada simplesmente enclausurada – é protegida (enclausurada) por alvenaria e PCF (portas corta fogo) P-90 em seus acessos nos pavimentos, não possui antecâmara de ventilação e exaustão;

c) escada enclausurada com antecâmaras (à prova de fumaça) - é protegida por alvenaria e acessos por intermédio de antecâmara com duto de ventilação (ar) ou duto de exaustão (fumaça),  possui duas PCF (P-60), uma no acesso à antecâmara e outra no acesso à escada. O Código de obras do município de São Paulo admite apenas um duto (com função de ventilação e exaustão simultaneamente), já a NBR 9077 exige dois dutos (um para ventilação e outro para exaustão);



d) escada enclausurada pressurizada (à prova de fumaça) - é protegida com PCF (P-90) em seus acessos; possui sistema mecânico de ventilação forçada, que mantém a pressão da “caixa de escada” maior que a pressão dos ambientes, impedindo, desta forma, a entrada de fumaça, o ar deve ser captado em um ambiente externo e insuflado para a “caixa de escada” por meio de dutos e grelhas por meio de ventiladores, que são automatizados por detectores de fumaça;

e) escada enclausurada pressurizada com antecâmaras (à prova de fumaça) é composta pela somatória dos tipos de proteção descritos nas letras “c” e “d”.


A distribuição e dimensionamento das saídas de emergência se baseiam em verificar a quantidade em função do caminhamento, do ponto mais distante da edificação em um determinado pavimento até um acesso ao exterior, ou a uma escada nos pavimentos elevados e enterrados. O dimensionamento deverá atender as tabelas 5 e 6 da IT nº 11 do Dec. Est. 46076/01.


Corrimãos

As escadas e rampas deverão ser dotadas de corrimãos e guarda-corpos, atendendo ao seguinte:

a)  os corrimãos deverão ser adotados em ambos os lados das escadas ou rampas, devendo estar situados entre 80 cm e 92 cm acima do nível do piso, sendo em escadas, esta medida tomada verticalmente.



b) para auxílio dos deficientes visuais, os corrimãos das escadas deverão ser contínuos, sem interrupção nos patamares, prolongando-se, sempre que for possível, pelo menos 0,20 m do início e término da escada suas extremidades voltadas para a parede ou com solução alternativa.

As edificações podem estar dimensionadas para atender a legislação estadual ou a municipal.

O dimensionamento pela legislação estadual deve ser realizado atendendo-se as tabelas da IT nº 11, acima citadas.

O dimensionamento pela legislação do município de São Paulo deve ser realizado atendendo-se o código de obras e edificações do município (Lei nº 11.228/92), conforme segue:

a) deverão dispor de, no mínimo, uma escada protegida (escada enclasurada à prova de fumaça), as seguintes edificações:

• destinadas ao uso residencial multifamiliar e de hospedagem, com altura superior a 12,00 metros;

• as edificações destinadas ao uso residencial com altura entre 12,00 e 27,00 metros poderão dispor de escadas simplesmente enclausurada;

• destinadas aos demais usos com altura superior a 9,00 metros ou lotação superior a 100 pessoas por andar.


b) Deverão dispor de mais de uma escada protegida, as edificações:

• destinadas ao uso residencial multifamiliar, com altura superior a 80,00 metros;

• destinadas aos demais usos, com altura superior a 36,00 metros ou com altura superior a 9,00 metros e lotação superior a 100 pessoas por andar.


Aspectos operacionais

Escada pressurizada

O funcionamento do sistema deve ser automatizado conforme exigência da IT nº 13, todavia, caso haja algum problema na automatização, os seguintes procedimentos podem ser utilizados:

Partida manual dos ventiladores utilizados para introdução de ar limpo por meio de comando alternativo localizado na central de segurança, portaria ou local de vigilância 24 horas.


Os quadros de comando elétrico dos ventiladores ficam localizados nas respectivas casas de máquinas; portanto, caso o comando alternativo localizado na central de segurança, portaria ou local de vigilância 24 horas não funcione, há a possibilidade de se fazer o acionamento diretamente nos quadros.



Nenhum comentário:

Postar um comentário