12.7.15

REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA - Tubulação - Válvula de governo e alarme - Comando Secundário - Dreno de fim de linha - Registro de recalque - Estoque de chuveiros sobressalentes -MANUAL DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO NAS EDIFICAÇÕES E ÁREAS DE RISCO


REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA

Tubulação

A tubulação para os chuveiros automáticos ramifica-se para possibilitar a proteção de toda ocupação, formando a rede de distribuição de água. O diâmetro da canalização deve seguir as exigências das normas legais. A canalização do sistema não deve ser embutida em lajes ou passar em locais não protegidos por chuveiros automáticos, exceto se estiver enterrada. Deve ser instalada com inclinação que permita drenagem natural (preferencialmente feita pela válvula de teste e dreno).



Válvula de governo e alarme

As válvulas de governo e alarme são dispositivos instalados entre o abastecimento do sistema e a rede de distribuição. São constituídos basicamente de válvula de comando, válvula de alarme e válvula de teste e dreno. É um dispositivo que possibilita controlar uma determinada área (setores), com funções de manter a coluna de água por intermédio da retenção, controlar o fluxo de água por meio de registro de gaveta (haste ascendente), acionar o sistema de alarme, drenar a tubulação e testar o sistema.

Os alarmes são acionados quando há uma queda de pressão na rede hidráulica, quer pela utilização dos chuveiros automáticos, quer por uma simples avaria na rede, ou quando
efetuar testes abrindo os drenos.


  
Comando Secundário

Dispositivo que possibilita controlar determinada parte ou um pavimento da instalação de edificações verticalizadas, com funções de controlar o fluxo de água por meio do registro de gaveta (haste ascendente), acionar o sistema de alarme, drenar a rede e testar o sistema.

Em edificações verticalizadas, normalmente os CS (comandos secundários) estão localizados no “hall” de cada pavimento e protegem a área do pavimento.



Dreno de fim de linha

É uma conexão de ensaio situada na parte mais desfavorável de cada instalação, levando em consideração a posição da válvula de alarme ou a chave detectora de fluxo d'água principal.




Sua função consiste em efetuar o teste de alarme e drenar completamente os ramais uma vez fechadas as válvula de governo e alarme, e ainda, a chave detectora de fluxo de água.


Registro de recalque

É uma extremidade da rede de hidrantes, provida de registro, introdução e tampão de engate rápido, utilizado para sua pressurização.

Poderá ser instalado na calçada (de coluna)ou na parede externa da edificação (de parede), sua introdução voltada para a rua, devendo estar identificado e seu acesso desobstruído.

Quando instalado no passeio, a nível do solo, deverá ser encerrado em uma caixa de alvenaria protegida por uma tampa metálica pintada na cor vermelha com identificação “INCÊNDIO”, e o fundo da mesma em material que permita a drenagem de água (pedra, areia, etc.).

A tampa deverá ter suas dobradiças fixadas no lado oposto à introdução, a fim de não obstruir a conexão de mangueira, quando aberta (abrir no sentido oposto à expedição).

O registro de recalque no passeio deverá estar instalado a 0,15 m de profundidade em relação ao nível do solo e a sua introdução voltada para cima e para a rua em um ângulo de 45º graus, permitindo fácil acoplamento de mangueiras.

Não deve estar em local de estacionamento ou passagem de veículos, que possam impedir a sua utilização.

Quando instalado na parede, ou seja, um hidrante simples de coluna, deverá estar em local de fácil acesso para o acoplamento às viaturas do Corpo de Bombeiros, e à altura de 1 e 1,5 m em relação ao piso.

O registro de recalque poderá estar localizado em rua interna, desde que possibilite o acesso às viaturas do Corpo de Bombeiros.

Dispositivo destinado a possibilitar o recalque da água nos sistemas de chuveiros por meio de fontes externas para uso exclusivo do Corpo de Bombeiros. Deve possuir duas entradas de água de 65 mm de diâmetro, providas de adaptadores e tampões de engate rápido tipo “Storz”. Em riscos leves, admite-se uma entrada.








Estoque de chuveiros sobressalentes:

a)  ocupações de risco leve devem manter 6 chuveiros sobressalentes até 1000 chuveiros instalados, e doze acima de 1000;

b) ocupações de risco ordinário devem manter 24 chuveiros sobressalentes até 1000 chuveiros instalados, e 36 acima de 1000;


c)  ocupações de risco extraordinário e risco pesado devem manter 36 chuveiros sobressalentes até 1000 chuveiros instalados, e 48 acima de 1000.


Nenhum comentário:

Postar um comentário