18.7.15

Exemplos de Cálculo da brigada de incêndio - Grau de risco do incêndio - Cargas de incêndios específicas por ocupação - NBR 14276 - Composição da Brigada de incêndio por pavimento ou compartimento - Cálculo para encontrarmos o número de brigadas de incêndio - Prevenção e Combate a Sinistros causados por Incêndio


Grau de risco do incêndio

O grau de risco incêndio é determinado conforme Anexo C, da NBR 14276:2006 e/ou segundo a NBR 12693:2010. Esse Anexo C da NBR 14276:2006 tem como objetivo estabelecer valores característicos para a carga de incêndio das edificações ou áreas de risco, de acordo com a classe de ocupação.

O grau de risco de uma empresa é medido pelo nível de perigo e pelos prováveis danos que poderá resultar se acontecer um incêndio. Dentre esses riscos estão: a possibilidade de perdas humanas, os danos ambientais, materiais e/ou econômicos.


Segundo a NBR 14276:2006, uma empresa é classificada como risco:

• Alto – empresa com carga de incêndio acima de 1200 MJ/m²;

• Médio – empresa com carga de incêndio entre 300 e 1200 MJ/m²;

• Baixo – empresa com carga de incêndio até 300 MJ/m².

Onde: MJ/m² – mega joule por metro quadrado.



No cálculo do número de brigadistas, a análise inicial a ser considerada é: primeiramente, verificar se a empresa é compartimentada ou não e proceder da seguinte maneira:

• Se a empresa for compartimentada, o cálculo da brigada de incêndio das edificações ou setores poderá ser realizado de acordo com o grau de risco incêndio determinado para cada edificação ou setor separadamente;

• Se a empresa não for compartimentada, o cálculo da brigada de incêndio deverá ser feito pelo maior grau de risco incêndio determinado.

Para o entendimento do uso dos Anexos A e C, citaremos dois exemplos.


Exemplo 1

Uma farmácia, localizada numa grande cidade, necessita, por exigência legal, montar a sua brigada de incêndio. Assim, buscou a ajuda de um Técnico em Segurança do Trabalho. O levantamento realizado pelo técnico determinou que a farmácia está assim organizada: uma parte administrativa, com quatro funcionários; a parte de comércio ao público, com oito funcionários e uma pessoa para serviços gerais. O prédio onde se encontra a empresa é de apenas um pavimento, ou seja, a parte administrativa e o atendimento ao público ficam no mesmo local. A farmácia funciona somente em período comercial.


Resolução
1. Realizar o cálculo do número de brigadistas da empresa, segundo o Anexo A, Tabela C.1 da NBR 14276:2006 (Quadro 5.1). Ao procurar pelo enquadramento farmácia (Quadro 5.3), encontramos:


a) Ocupação/uso
Grupo C – comercial.
Divisão – C2.
Descrição – comércio – drogaria.

O grau de risco deve ser enquadrado segundo o Anexo C, da NBR 14276.
Grau de risco: Médio.




b) População fixa da farmácia

Segundo a NBR 14276:2006, população fixa é aquela que permanece regularmente na edificação, considerando-se os turnos de trabalho e a natureza da ocupação, bem como os terceiros nessas condições.

Sendo assim, fazem parte da população fixa: os quatro funcionários da parte administrativa, os oito funcionários do atendimento ao público e o funcionário de serviços gerais.

População fixa = 4 + 8 + 1.
População fixa = 13 funcionários.


c) De posse de todos os dados, voltamos ao Anexo A (Quadro 5.4)
Comércio – divisão C – grau de risco (médio) – população fixa = 13 funcionários.



Cálculo para encontrarmos o número de brigadas de incêndio:

Até 10 pessoas = 4 (têm-se 4 pessoas na brigada).
Acima de 10 pessoas = nota 5 (ou seja, tudo que exceder a 10 pessoas, aplica-se a nota 5).


A nota 5 é encontrada nas notas do Anexo A e diz:

Quando a população fixa de um pavimento, compartimento ou setor:

• For maior que 10 pessoas, será acrescido mais um brigadista para cada grupo de até 20 pessoas para o risco baixo;

• Mais um brigadista para cada grupo de até 15 pessoas, para o risco médio;

• Mais um brigadista para cada grupo de até 10 pessoas, para o risco alto.

Assim sendo, como o risco é médio, devemos acrescentar mais um brigadista para cada grupo de 15 pessoas que exceder a premissa de até 10 pessoas.


Como a população fixa é de 13 funcionários, a quantidade referente a até 10 pessoas foi retirada da tabela onde indica “Até 10 pessoas = 4”.


Para a quantidade que excede a 10 pessoas devemos aplicar a nota 5, da seguinte forma:

Como já fizemos a parcela de “Até 10” pessoas, devemos descontar essa quantidade da população fixa e aí acrescentar 1 pessoa para cada grupo de 15 pessoas que exceder as 10 pessoas iniciais, da seguinte maneira:

13 pessoas - 10 pessoas = 3 pessoas

Sobraram 3 pessoas, para essa quantidade acrescentar a nota 5 da seguinte maneira:

3 ÷ 15 = 0,2

Como não podemos acrescentar 0,2 pessoas na nossa brigada, esse valor deverá ser arredondado para mais, ou seja, 1 pessoa.


Portanto, a brigada de incêndio da farmácia deverá ter:

Brigada = quantidade de pessoas “Até 10” + a quantidade de pessoas da nota 5.

Brigada de incêndio da farmácia = 4 + 1 = 5 pessoas.

A brigada de incêndio desta farmácia deverá ter 5 pessoas.

O nível de treinamento deverá ser intermediário e deverá apresentar-se conforme Anexo B, da NBR 14276:2006.



Exemplo 2

Uma indústria de velas é composta pela parte administrativa e pela parte industrial. A parte administrativa fica em um prédio separado do setor industrial, mas ambos no mesmo terreno. O setor administrativo tem quatorze funcionários entre gerentes, responsáveis pela criação e pelo desenvolvimento do produto, administradores, auxiliares administrativos, secretárias e serviços gerais. No setor de produção, trabalham 48 pessoas. Qual deve ser o número de pessoas que devem fazer parte da brigada de incêndio dessa empresa?

Resolução

Para começar a resolução do problema devemos levar em consideração a nota 6 que faz menção ao fato da empresa ter mais de uma classe de ocupação e o fato dos setores serem compartimentados (separados) ou não. Nesse caso, a empresa apresenta duas classes de ocupação e os setores são separados.

Assim, o cálculo da brigada de incêndio pode ser realizado separadamente:

- Setor de escritório (administração).
- Setor de produção (indústria).


a) Cálculo do número de pessoas brigadistas do setor administrativo

O enquadramento deve seguir o Anexo C, da NBR 14276:2006.


Pelo Anexo C, da NBR 14276:2006, o setor do escritório fica enquadrado na Divisão D1, com grau de risco médio, como mostrado na Quadro 5.5.



Para continuar o cálculo da brigada de incêndio do escritório, devemos agora utilizar o Anexo A da NBR 14276:2006, divisão D1, grau de risco médio e a quantidade: até 10 pessoas, acima de 10 pessoas e o nível de treinamento intermediário (Quadro 5.6).



Para continuar o cálculo da brigada de incêndio do escritório, devemos agora utilizar o Anexo A da NBR 14276:2006, divisão D1, grau de risco médio e a quantidade: até 10 pessoas, acima de 10 pessoas e o nível de treinamento intermediário (Quadro 5.6).


Cálculo

Até 10 pessoas = 4.
Acima de 10 pessoas = nota 5.
Segundo a nota 5 para grau de risco médio devemos acrescentar para cada grupo de 15 pessoas mais um brigadista.


Como, no setor de escritório, temos um total de 14 funcionários, devemos proceder conforme nota 5:

14 pessoas - 10 pessoas = 4 pessoas
4 ÷ 15 = 0,2667

Como não podemos usar 0,2667 pessoas, devemos proceder o arredondamento para 1 pessoa a mais.

Brigada de incêndio do escritório = 4 + 1 = 5 pessoas.

A brigada de incêndio do escritório deverá ter 5 pessoas.


b) Cálculo da brigada de incêndio do setor industrial



Analisando o Quadro 5.7 acima (Anexo C), podemos determinar que a indústria de velas está enquadrada na classe de ocupação industrial – divisão I3 – grau de risco alto. Assim sendo, vamos ao Anexo A para determinar a quantidade de pessoas que devem fazer parte da brigada de incêndio da parte industrial conforme Quadro 5.8.



No setor industrial, trabalham 48 pessoas – grau de risco alto.

Até 10 pessoas = 8.
Acima de 10 pessoas = nota 5.

A nota 5, da NBR 14276, determina que, para o risco alto, devemos acrescentar, para cada grupo de 10 pessoas, um brigadista a mais.


Como na parte industrial são 48 funcionários, temos:

48 pessoas - 10 pessoas = 38 pessoas
38 ÷ 10 = 3,8 (a mais na brigada da indústria)
      

Como não podemos acrescentar 3,8 pessoas, devemos arredondar para 4 pessoas. Portanto, a brigada de incêndio da parte industrial fica com:

Brigada de incêndio indústria = 8 + 4 = 12 pessoas.

A brigada de incêndio do setor industrial deverá ter 12 pessoas.


Então a brigada total da indústria de velas será:

Brigada total da indústria de velas = brigada do escritório + brigada da indústria.

Brigada total da indústria de velas = 5 + 12 = 17 pessoas.

A brigada de incêndio total da indústria de velas deverá ser de 17 pessoas.


O nível de treinamento deverá ser avançado conforme Anexo B da NBR 14276:2006.


17 comentários:

  1. Respostas
    1. Boa noite Mark...
      Obrigado pelo elogio e também pela visita.
      Abração...

      Excluir
  2. Parabéns e muito obrigada.
    Estava com umas dúvidas no cálculo, na verdade eu ja tinha entendido como fazer, coisa besta pois me faltaba entender no que tratava o valor 10, pesquisei e achei aqui.. me ajudou muito mesmo..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Betinha...
      Obrigado pelo parabéns e pela visita.
      Abração à Você e a todos seus Familiares...

      Excluir
  3. Muito obrigado pelo apoio dispensado em nós ajudar em dúvidas como está. Muitíssimo grato.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Luciano...
    Não há de quê, pois o Blogger foi criado para essa finalidade.
    Abração à Você e aos seus Familiares...

    ResponderExcluir
  5. Olá, como é o cálculo para empresas com turno? Aqui temos 3 prédios separados, e em apenas 1 deles há trabalho em turno. Como calcular?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Débora...
      O cálculo é o mesmo, pois as atribuições e preocupações são as mesmas do Turno diurno. Mesmo com o pessoal reduzido, distribua as Funções e monte a Equipe da Brigada Noturna.
      Abração e obrigado pela visita, se a dúvida persistir, volte a me acionar...

      Excluir
  6. Boa tarde!
    Gosto muito do teu blog.
    De forma geral o calculo da minha brigada sempre da 11% do total de colaboradores, não sei se é coincidência más reparei isto.
    Exemplo, uma com 500 colaboradores dará 55 brigadistas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Anônimo...
      A finalidade da Brigada é prestar Primeiros Socorros e viabilizar a evacuação do local de trabalho em casos de Sinistro ou Treinamento (PALT), por isso nunca calcule pelo total de Funcionários, mas sim por Setores ou Andares.
      Abração e obrigado pela visita...

      Excluir
  7. Boa noite muito obrigado me ajudou a ter uma ideia do dimensionamento da brigada na empresa que sou TST. Muitíssimo obrigado

    ResponderExcluir
  8. Bom dia Benedito...
    Não há de quê, pois esse é o intuito do blogguer.
    Abração e obrigado pela visita...

    ResponderExcluir
  9. Olá Bombeiro Oswaldo! A NBR 276 está desatualizada quanto à classificação do Grau de Risco. Como faço o cálculo da Brigada de Incêndio no Rio Grande do Sul - Porto Alegre?

    ResponderExcluir
  10. Boa noite Rodrigo...
    Entrei no site dos Bombeiros no RS - http://www.cbm.rs.gov.br/?page_id=2341 - e vi um sistema super simplificado.
    Em meu blogguer há o endereço - http://bombeiroswaldo.blogspot.com.br/2015/09/site-dos-bombeiros-do-brasil-clique-no.html - com sites de todos os Bombeiros do Brasil.
    Por isso te aconselho a procurar seguir as Normas da sua Região para evitar complicações, aceite as normas do Bombeiro junto se preciso for com a Norma NBR 14276.
    Abração e obrigado pela visita...

    ResponderExcluir
  11. Tem como disponibilizar esta planilha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Pedro...
      Saiba que todo conteúdo postado no Blogguer é de uso livre, a cópia é livre para uso diversos.
      Abração e obrigado pela visita...

      Excluir