18.7.15

Chuveiro automático ( sprinkler ) - Temperatura de abertura e cor do fusível - Temperatura de abertura e cor da ampola - Esquema de um sistema de chuveiros automáticos - Prevenção e Combate a Sinistros causados por Incêndio


Chuveiro automático (sprinkler)


Um sistema de chuveiro automático, para fins de proteção contra incêndio, é definido pela NBR 10897:1990, como sendo um sistema fixo integrado o qual deve apresentar os seguintes elementos:

a) Rede hidráulica de distribuição que alimente os chuveiros automáticos, após a válvula de alarme ou chave detectora de fluxo de água.

b) Rede de abastecimento das válvulas de alarme ou chave detectora de fluxo de água.

c) Abastecimento de água.


Da instalação hidráulica principal de alimentação do sistema de chuveiro automático, além da válvula principal de controle do fluxo, partem ramais secundários para os diversos setores da edificação. Cada um dos ramais é controlado por uma válvula alarme que dispara se ocorrer fluxo de água no ramal, indicando, no painel de controle do sistema, qual ramal foi acionado.

Um ramal de derivação do sistema principal pode conter vários chuveiros automáticos, os quais são fundamentais na extinção de um princípio de incêndio. Os chuveiros automáticos (Figura 4.10) são equipamentos instalados no teto ou nas paredes das edificações cuja função é jogar água, em forma da chuva, sobre o fogo. A água é liberada quando o dispositivo, na ponta do chuveiro, sensível ao calor, rompe-se.



Os dispositivos sensíveis ao calor podem ser de dois tipos:

a) Tipo fusível ou químico;

b) Tipo ampola de vidro.


No dispositivo tipo fusível ou químico, a temperatura nominal de operação e a coloração do dispositivo, em relação à temperatura de abertura, são determinadas pela NBR 6135:1992, conforme o Quadro 4.5:



Já no dispositivo tipo ampola de vidro, a temperatura nominal de operação e a coloração do respectivo fluído dentro da ampola são determinadas pela NBR 6135:1992, conforme Quadro 4.6:



Todo chuveiro automático deve conter, em seu corpo ou no defletor, as seguintes informações:

a) Marca do fabricante e modelo;

b) Temperatura nominal de operação;

c) Ano de fabricação;

d) Diâmetro nominal do orifício de descarga;

e) Letra código da posição em que deverá se instalado:

• Pendente (para baixo) – letra código H;

• Em pé (para cima) – letra código F;

• Lateral (de parede) – letra código LH (lateral pendente);

• Lateral (de parede) – letra código LF (lateral em pé).


O sistema fixo de proteção por chuveiros automáticos (Figura 4.11) deverá ser projetado por profissional habilitado, bem como a realização da fiscalização na etapa de execução do projeto deve ser efetuada por um profissional da área. Tanto o projeto quanto a etapa de execução deverão seguir as determinações da legislação vigente.

Um sistema fixo de proteção contra incêndio por chuveiros automáticos só poderá ser fechado para manutenção ou reparos por ordem de responsável direto do setor de segurança do trabalho da empresa.




Mesmo que a empresa esteja protegida por sistemas fixos de combate a incêndio, deverá possuir os extintores portáteis de incêndio, distribuídos nos setores (conforme projeto), pois os extintores são fundamentais no combate ao princípio de incêndio.


Nenhum comentário:

Postar um comentário