14.10.13

Tipos de escoramentos ( vertical - T - Viga - Teto - Portas e janelas - Vertical de elemento inclinado - Tipo berço - Tipo berço de elemento inclinado - Horizontal - Inclinado ) - Fixação de soleira - Fixação contra-escora - Escoramento tipo ( rack - múltiplos - de vala ou trincheira - rápido - parcial - total )

TIPOS DE ESCORAMENTOS

PRINCÍPIO DO ESCORAMENTO

Os sistemas de escoramento devem funcionar como um funil duplo, que recebe a carga através da contra-escora e a repassa para a escora que, por sua vez, a distribui ao solo com segurança através da soleira.


Esquema de representação dos princípios de escoramento


ESCORAMENTO VERTICAL

Esta técnica de escoramento deve ser utilizada para suportar elementos horizontais colapsados, de acordo com suas necessidades como veremos a seguir


ESCORAMENTO T

Este tipo de escoramento deve ser utilizado para estabilização inicial em uma área com risco de desabamento até que o escoramento vertical de emergência completo seja construído, provendo assim um suporte temporário, porém cabendo lembrar que este tipo de escoramento e basicamente instável.



O escoramento "T" pode suportar cargas de forma balanceada através de sua escora vertical sendo recomendado que sua contra-escora não ultrapasse a medida de 1 metro.

1. Determinar o local exato para a instalação do escoramento;

2. Verificar as medidas da soleira e contra-escora;

3. Verificar as medidas das escoras deduzindo a altura da soleira mais a altura das cunhas;

4. Iniciar o corte das madeiras;

5. Fixar a escora na contra-escora;

6. Posicionar a escora e a contra-escora no local a ser escorado sobre a soleira;

7. Ajustar e firmar a escora com cunhas;

8. Ajustar mais uma vez as cunhas e pregá-las na soleira;

9. Para maior segurança podemos fixar placas de união.


ESCORAMENTO DE VIGA

Para o escoramento de viga devemos seguir algumas regras:

A contra-escora deverá estar no mesmo sentido e em contato com a viga;

As escoras deverão ser distribuídas na contra-escora com uma separação máxima de 1 metro.



Escoramento de viga:

1. Determinar o local exato para a instalação do escoramento;

2. Verificar as medidas da soleira e contra-escora;

3. Verificar as medidas das escoras deduzindo a altura da soleira mais a altura das cunhas;

4. Iniciar o corte das madeiras;

5. Fixar as escoras metálicas na contra-escora fora do local destinado as escoras;

6. Posicionar as escoras metálicas e a contra-escora no local a ser escorado;

7. Instalar as escoras de madeira removendo as escoras metálicas;

8. Ajustar e firmar as escoras com cunhas;

9. Cortar e instalar o contra-ventamento;

10. Ajustar mais uma vez as cunhas e pregá-las na soleira;

11. Para maior segurança, podemos fixar placas de união.


ESCORAMENTO DE TETO

Para o escoramento de teto devemos seguir algumas regras:

As contra-escoras e soleiras deverão estar perpendiculares às viguetas do teto;

As escoras deverão ser distribuídas na contra-escora com uma separação máxima de 1 metro;

A quantidade de linhas de escoramento dependerá das condições do teto devendo distar no máximo 1,50 metro uma das outras.


1. Determinar o local exato para a instalação do escoramento;

2. Verificar as medidas da soleira e contra-escora;

3. Verificar as medidas das escoras deduzindo a altura da soleira mais a altura das cunhas;

4. Iniciar o corte das madeiras;

5. Fixar as escoras metálicas na contra-escora fora do local destinado as escoras;

6. Posicionar as escoras metálicas e a contra-escora no local a ser escorado;

7. Instalar as escoras de madeira removendo as escoras metálicas;

8. Ajustar e firmar as escoras com cunhas;

9. Cortar e instalar o contra-ventamento;

10. Ajustar mais uma vez as cunhas e pregá-las na soleira;

11. Para maior segurança, podemos fixar placas de união.


Escoramento de teto


ESCORAMENTO DE PORTAS E JANELAS

Este tipo de escoramento deve ser utilizado para estabilização de aberturas de portas e janelas que tenham seu batente danificado oferecendo risco de desabamento.

Devemos levar em conta se queremos que esta abertura, porta ou janela, permita ou não passagem de bombeiros das equipes de salvamento.

Para realizar o escoramento de uma abertura de PORTA:

1. Determinar o local exato para a instalação do escoramento;

2. Verificar as medidas da soleira e contra-escora;

3. Verificar as medidas das escoras deduzindo a altura da soleira, conta-escora, mais a altura das cunhas;

4. Iniciar o corte das madeiras;

5. Fixar a soleira e conta-escora e logo em seguida as escoras, ajustando-as com cunhas;

6. Verificar a medida (AB) da conta-escora deduzindo a largura das escoras e marcar o ponto médio (C) na própria contra-escora;

7. Verificar a medida do ponto (C) até o ponto (B) e marcar na própria escora as medidas (AD) e (BE);

8. Verificar medidas da soleira até o ponto (D) e (E) e instalar novas escoras;

9. Verificar medidas do ponto (D) e (E) até o ponto (C) e cortar escoras;

10. Após o corte de ajuste para o encaixe perfeito, instalar escoras;


Escoramento de portas


Para realizar o escoramento de uma abertura de JANELA:

1. Determinar o local exato para a instalação do escoramento;

2. Verificar as medidas da soleira e contra-escora;

3. Verificar as medidas das escoras deduzindo a altura da soleira, conta-escora, mais a altura das cunhas;

4. Iniciar o corte das madeiras;

5. Fixar a soleira e conta-escora e logo em seguida as escoras, ajustando-as com cunhas.


Escoramento de janelas

OBS: Existe também a opção de escoramento conforme técnica apresentada acima marcando os pontos como no escoramento de portas.


Escoramento marcando os pontos


ESCORAMENTO VERTICAL DE ELEMENTO INCLINADO

1. Determinar o local exato para a instalação do escoramento;

2. Verificar a medida do elemento a ser escorado, dividir em quatro partes e marcar ½ e ¾, locais onde serão instaladas as escoras;

3. Verificar as medidas das escoras ( medir do local marcado ate o solo ), anotando as medidas “B” e “C” respectivamente para a escora maior e menor;

4. Verificar a medida entre as escoras “B” e “C” marcando a distancia “A”;

5. Marcar a distancia “A” na soleira;

6. Escavar na soleira um vão para encaixe das escoras na profundidade de 2,5cm;

7. Instale as escoras na soleira e marque as medidas B e C nas escoras adicionado 2,5cm para cada uma;

8. Posicione a contra-escora de forma que cruze as linhas de marcação conforme desenho, e marque a angulação da contra-escora e a posição das escoras;

9. Escavar na contra-escora um vão para encaixe das escoras na profundidade de 2,5cm 10. Iniciar o corte das madeiras;

11. Medir e marcar o posicionamento do braço lateral conforme desenho;

12. Cortar e instalar o braço lateral;

13. Instalar placas de reforço e levar o escoramento ate a posição desejada.


Escoramento vertical de elemento inclinado


ESCORAMENTO TIPO BERÇO

Este tipo de escoramento deve ser utilizado para garantir a segurança de bombeiros e vítimas durante operações de salvamento em emergências que exijam um rápido suporte para estruturas colapsadas próximas ao solo, para estabilização inicial em uma área com risco de desabamento, até que o escoramento vertical de emergência completo seja construído ou para suportar parte de uma estrutura, para que uma vítima atrapada seja rapidamente removida dos escombros.

Podemos também utilizar o escoramento tipo berço em conjunto com extensores, macacos hidráulicos ou almofadas pneumáticas, a fim de proporcionar maior segurança e estabilidade.

A estabilidade desse tipo de escoramento esta diretamente relacionada à sua perpendicularidade em relação ao solo e a estrutura escorada e ao cruzamento de fibras das madeiras componentes do sistema, devendo também obedecer à proporção de 3 para 1, a relação de sua altura
para sua largura.


Escoramento tipo berço


ESCORAMENTO VERTICAL TIPO BERÇO DE ELEMENTO
INCLINADO


Escoramento vertical tipo berço de elemento inclinado


ESCORAMENTO HORIZONTAL

Esta técnica de escoramento deve ser utilizada para suportar elementos verticais, de forma que o escoramento não atrapalhe os trabalhos a realizar, proporcionando espaço para o salvamento.

1. Determinar o local exato para a instalação do escoramento;

2. Verificar as medidas das soleiras / contra-escoras;

3. Verificar as medidas das escoras deduzindo a altura das soleiras / contra-escoras mais a altura das cunhas;

4. Fixar as soleiras / contra-escoras com apoio de escoras metálicas;

5. Unir as escoras cortadas com bridas, dividir seu comprimento por 3 e marcá-las;

6. Fixar madeira de reforço com pregos e bridas de forma que cubra o terço medial;

7. Instalar as escoras de madeira removendo as escoras metálicas;

8. Ajustar e firmar as escoras com cunhas e pregos;

9. Medir as distancias (AB) e marcar as distancias (BC) e (BD);

10. Medir e cortar e instalar as escoras diagonais fixando-as com calços e pregos.


Escoramento horizontal


ESCORAMENTO INCLINADO

Esta técnica de escoramento deve ser utilizada para suportar elementos verticais proporcionando segurança para vítima e equipes de salvamento.

Escoramento simples:

1. Determinar o local exato para a instalação do escoramento;

2. Realizar a correção do solo;

3. Verificar a medida do elemento a ser escorado (A);

4. Cortar as madeiras para escora e contra-escora marcando o espaço destinado aos calços;

5. Para escoramento a 45 graus, instale a soleira e a contra-escora de iguais medidas, fixando-as com escoras metálicas;

6. Subtraia da medida de (A) – o espaço destinado ao calço obtendo a medida (B);

7. Para calcular a medida da escora, multiplique o valor (B) por (17) em caso de escoramento a 45º e, logo em seguida, divida por 12;

8. Adicione mais 5cm para escoramento a 45º;

9. Pregue o calço na soleira de forma a obter a medida (B);

10. Cortar a madeira para as escoras e uni-las com Grupos de União;

11. Medir as escoras, marcando nas mesmas as posições dos calços da contra-escora e soleira;

12. Cortar as escoras conforme marcações;

13. Instalar escoras ajustando-as com a fixação do calço da soleira;

14. Fixar o escoramento com estacas de metal ou outro tipo conforme exemplos abaixo;

15. Pregue o calço na contra-escora;

16. Instalar o contra-ventamento.


Escoramento Inclinado


Para saber a medida de uma escora a 45 graus
(A . 17 / 12 = ESCORA) + 5cm Ex A=2.0m

􀂃 2,0 . 17 = 34
􀂃 34 / 12 = 2,83
􀂃 2,83m + 5 = 2,88 m

PODEMOS CORTAR UMA ESCORA DE 2,88 m


FIXAÇÃO DE SOLEIRA



Fixação de soleira


FIXAÇÃO DE CONTRA-ESCORA


Fixação de contra-escora


ESCORAMENTO TIPO “RACK”

São utilizados para escorar grandes extensões de muro ou para suportar um elemento vertical durante uma perfuração para acesso à vítima.

A sua construção é muito semelhante ao escoramento inclinado simples, sendo, porém, adicionados contra-ventos.


Escoramento tipo rack


ESCORAMENTO MÚLTIPLO

De acordo com a altura do elemento a ser escorado e quantidade de material disponível, podemos optar por variações de escoramentos inclinados que, por sua vez, proporcionam maior resistência.

Essas variações apresentadas são classificadas como escoramento múltiplo por apresentarem mais de uma escora no mesmo escoramento.


Escoramento múltiplo


ESCORAMENTO DE VALA OU TRINCHEIRA

Trincheiras são escavações de terra com largura mínima de aproximadamente 0,40m e profundidade máxima de aproximadamente 2m, executadas para a realização da fundação de edificações ou para instalação ou manutenção de canalizações de água, eletricidade, gás, telefonia etc.

Este tipo de atividade, caso não seja executada seguindo à risca alguns procedimentos de segurança, pode trazer conseqüências fatais como o acometimento e soterramento de trabalhadores devido a desabamentos ou deslizamentos de terras.

Esses mesmos procedimentos de segurança, como é o caso do escoramento, devem ser observados e executados pelas guarnições de bombeiro durante as operações de salvamento.

As trincheiras devem ser escoradas quando:

Ocorrer desprendimentos em suas paredes;

Quando a profundidade alcançar 1,30 metros;

Houver tráfego de veículos ou trepidação de maquinário pesado nas imediações;

Houver construções ou edificações muito próximas;

Presença de infiltração de água;

Trincheira escavada em local anteriormente escavado.


Os tipos de escoramentos de emergência são determinados de acordo com o risco de desabamento, o material disponível, a dificuldade de remoção da vítima e a quantidade de bombeiros envolvidos na operação. São eles:

Escoramento rápido;

Escoramento parcial;

Escoramento total.


ESCORAMENTO RÁPIDO

São escoramentos rústicos que proporcionam segurança moderada, utilizados para salvamentos rápidos ou para escorar as paredes da trincheira antes da instalação de um escoramento mais resistente.

Afastamento máximo entre escoras : 1,25 m;

Afastamento máximo entre contra-escoras: 0,50 m;


Escoramento rápido


ESCORAMENTO PARCIAL

São escoramentos que proporcionam boa segurança, utilizados para salvamentos que demandem tempo para localizar ou extrair vítimas .

Afastamento máximo entre escoras: 1,25 m;

Afastamento máximo entre contra-escoras: 0,75 m;


Escoramento parcial


ESCORAMENTO TOTAL

São escoramentos que proporcionam muita segurança, utilizados para salvamentos que demandem tempo para localizar ou extrair vítimas com grandes riscos de desabamento.

Afastamento máximo entre escoras : 1,25 m;

Afastamento máximo entre contra-escoras: 0,50 m.


Escoramento total

Nenhum comentário:

Postar um comentário